Por quê brincar?

Acreditamos que brincar é uma linguagem de conhecimento. Os ensinamentos do brincar dizem respeito a algo, como a memória do futuro. O brincar é uma função transcedente do humano, uma vez que extrapola a condição de tempo e espaço do cotidiano.

Para Maluf,

“…É importante a criança brincar, pois ela irá se desenvolver permeada por relações cotidianas, e assim vai construindo sua identidade, a imagem de si e do mundo que a cerca.“

A interação desencadeada pelo brincar gera e libera processos de criação e elaboração das relações sociais, de conhecimento do entorno e dos objetos, abrindo diferentes possibilidades de conhecer e pensar sobre o mundo. Dessa forma todo objeto é passível de tornar-se um brinquedo.

É brincando que a criança torna-se capaz de manifestar suas raízes, usar sua memória coletiva e ter a liberdade e a vontade de recombinar essas matrizes para construção de si próprio.

O brincar nasce no corpo, e o corpo é natureza. A criança antes de ser intelecto, é instinto, é sensação. Os sentidos das crianças são portadores de uma sabedoria que ajuda sua relação com o mundo. Brincar na natureza expressa um papel vital na manifestação da alegria, da espontaneidade e da capacidade criativa do ser humano ao inventar suas próprias brincadeiras.

Ao adulto cabe o papel de cuidar para, na medida do possível, não atrapalhar nem moldar ou preestabelecer a criança, valorizando o seu brincar, a sua alegria, o seu sim à vida, defendendo sua capacidade e seu modo próprio de entender o mundo.

Na Casa das Asas propomos que as crianças vivenciem suas próprias experiências, inventem suas brincadeiras. Oferecemos objetos resignificados, artisticos e do cotidiano, para instigar novas possibilidades e descobertas, acreditamos que assim as possibilidades de descobertas para a criança tendem a tornarem-se infinitas. O infinito é o maior e melhor recurso que uma criança pode ter.