Por quê brincar com arte?

“A arte contemporânea dialoga com o universo da criança, porque trata de todos os assuntos do mundo, aqui e agora. Assim como os artistas, as crianças não estão preocupadas com as fronteiras entre as linguagens” (BARBIERI, Stela)

Os estímulos sensoriais são de extrema importância para o desenvolvimento dos bebês. Ao comer uma fruta com a mão, se lambuzar e sentir a textura eles estão desenvolvendo vários sentidos muito além dos cinco que costumamos citar.

Quando estimulamos a criança a manusear diferentes materiais com textura, cor e temperaturas diversas, esse bebê vai pegar a fruta com mais firmeza, desenvolve a motricidade fina para manusear objetos como abrir e fechar potes, empilhar, caminhar com firmeza, se concentrar quando falam com ele, prestar atenção ao som ao redor, etc.

Os estímulos sensoriais são os principais nesse estágio da vida. Nas oficinas de artes visuais, os bebês entram em contato com diversos estímulos e materiais acessíveis, os quais podem ser utilizados também pelos pais, em algumas atividades cotidianas, como a hora do banho, por exemplo.

O contato com obras de arte, visita a museus, parques e ambientes naturais acrescentam ao imaginário infantil a apropriação de diferentes formas de vida e realidades. A arte tem como um dos papeis o estímulo às habilidades visuais e estéticas dessas crianças.

O corpo é um instrumento artístico muito importante. Através de dinâmicas artísticas as crianças podem ser bastante estimuladas às diferentes formas de usar o corpo no espaço. A pintura é somente um pequeno recurso que pode ser explorado na arte. Na realidade, é o corpo que está em ação, se expressando e se colocando no espaço. Ao desenhar ou pintar, a criança desenvolve a noção espacial, assim como o entendimento de dimensões (o grande e o pequeno), as características visuais (cor, textura, figura/fundo), a sua capacidade de criação e os limites de seus corpos, aprimorando suas percepções.